Contação de História e Prática de Escrita


Quem, caso já tenha sido apresentado ou apresentada, consegue ficar imparcial ao ouvir e cantar as músicas da nossa Bia Bedran? Dizem por aí que a Bia participou da infância de diversas gerações. Mas como explicar o sucesso enorme que ela faz junto a nós, grandões e grandonas? Mais abaixo, sugestões de atividades de leitura e escrita.

São tantas histórias e canções. A história da Coca, O menino do vento norte, O tempo, Pedalinho, A menina do anel, Ciranda do Anel, Desengonçada... Ah, me perderia facilmente vezes pós outra só nos encantos da nossa brasileirinha, que de inha não tem nadinha.

Como não dá pra ficar perdida o dia inteiro na voz e encantos de Bia (será ela uma feiticeira? Rs...), vamos voltar ao que nos interessa - alfabetização.

Que tal alfabetizar com música e letra? Vídeo excelente para trabalhar letra (bastante repetitiva, o que favorece a memorização da grafia), música (sons, emoções, afetividade, festividade, etc.) e FONEMAS (há várias oportunidades na mesma música) que podem ser aprofundados em diversos momentos do planejamento do período (dependerá do objetivo e escolha de estratégias). Boas inspirações a todos e todas!

Sugestão de Encaminhamento pedagógico com história para contação (audição) e  atividade de reescrita pelos alunos - por Prof. Valéria Rosa Poubell
  1. Ouvir a história junto com o grupo.
  2. Conversar sobre a prática da Contação de Histórias ao longo da história do mundo e da formação da cultura de diversos povos - herança cultural.
  3. Conversar sobre a contadora da história: biografia e acervo de histórias e músicas.
  4. Sugerir a audição de algumas músicas da autora: apenas para apreciação.
  5. Propor, no dia seguinte, mais uma audição da história.
  6. Solicitar a reescrita da história ouvida pelos alunos: de memória.
  7. No dia seguinte, propor a leitura/ releitura das reescritas pelos próprios alunos.
  8. Combinar a revisão textual através de parâmetros e CÓDIGOS pré-estabelecidos em conjunto com o grupo de alunos. Isso dependerá do nível em que se encontram os grupos de alunos. O professor terá que ponderar bastante sobre os parâmetros para cada grupo, se a atividade for individual. Se for coletiva, ele próprio conduzirá o processo de revisão e então é recomendável que estabeleça poucos critérios de revisão por vez (atividade).   * Exemplo: Circular de azul as letras que deveriam ser escritas em maiúsculas; marcar um X verde nas letras que não representam o som necessário à escrita da palavra analisada; marcar com um traço abaixo, a palavra ilegível; etc.
  9. Solicitar a ilustração da história: pode ser por partes (para a construção de um livreto) ou em uma só folha (representação pictórica geral da história reescrita).
  10. Sugerir a troca entre os grupos e/ou pares dos trabalhos realizados.
  11. Propor a autoavaliação coletiva e individual da atividade.
  12. E muitas outras onde sua criatividade puder te levar!
  13. Conte para nós sobre suas inspirações, tá!

Comentários

Relato de Experiência - Diálogos em Arte-educação

Uma experiência no Museu Oi Futuro, RJ.